Prisioneiro de Azkaban

Capítulo 1 – O Correio-Coruja

“ALÔ! ALÔ! ESTA ME OUVINDO? QUERIA – FALAR – COM – O – HARRY – POTTER! Rony gritou com tanta força que tio Valter deu um salto e afastou o fone a mais de um palmo da orelha com a expressão em que se misturavam a fúria e o susto.”  PdA, cap. 1, pág. 11

Capítulo 4 – O Caldeirão Furado

 

“Percy, porém, estendeu a mão solenemente como se ele e o colega jamais tivessem se encontrado e disse:
– Harry. Que prazer em vê-lo.
– Olá, Percy – respondeu Harry, tentando conter o riso.
– Você está bem, espero? – continuou Percy pomposo, durante o aperto de mãos. Parecia até que estava sendo apresentado ao prefeito.
– Muito bem, obrigado…
– Harry! – exclamou Fred, empurrando Percy com os cotovelos e fazendo uma grande reverência. – É simplesmente esplêndido encontrá-lo, meu caro…
– Maravilhoso – disse Jorge, empurrando Fred para o lado e, por sua vez, apertando a mão de Harry. – Absolutamente maravilhoso.
– Agora chega – interrompeu-os a Sra. Weasley.
– Mãe! – exclamou Fred como se tivesse acabado de avistá-la, apertando-lhe a mão também: – É realmente formidável encontrá-la…”
PdA, cap. 4, pág. 56

E para que é que nós queremos ser monitores? – perguntou Jorge, parecendo se indignar até com a própria idéia. – Isso tiraria toda a graça da vida.
PdA, cap. 4, pág. 56

“ – Como vamos para a estação de King’s Cross amanhã, papai? – perguntou Fred quando enfiavam a colher em um suntuoso pudim de chocolate.
– O Ministério vai mandar dois carros – disse o Sr. Weasley. Todos ergueram os olhos para ele.
– Por quê? – perguntou Percy, curioso.
– Por sua causa, Percy – disse Jorge, sério. – E vão botar bandeirinhas em cima dos capôs, com as letras TC…
– … significando Tremendo Chefão – completou Fred.”
PdA, cap. 4, pág. 57

Capítulo 5 – O Dementador

 

” Eu não saio por ai procurando encrenca – respondeu Harry, irritado. – Em geral as encrencas é que vêm ao meu encontro.” PdA, cap. 5, pág. 67

“O Prof. Lupin voltou. Parou ao entrar, olhando para todos e disse, com um leve sorriso:
 – Eu não envenenei o chocolate, sabem…” PdA, cap. 5, pág. 75

“Eu não sou delicado! Exclamou Harry aborrecido.” PdA, cap. 5, pág. 78

Capítulo 6 – Garras e folhas de chá

“Jorge ergueu os olhos na hora em que Malfoy fingia desmaiar de terror outra vez.
– Aquele debilóide! – disse calmamente. – Ele não estava tão exibido ontem à noite quando os dementadores revistaram o nosso lado do trem. Entrou correndo na nossa cabine, não foi, Fred?
– Quase fez xixi nas calças – disse Fred, lançando a Draco um olhar de desprezo.”
PdA, cap. 6, pág. 83

“ – Para mim o senhor parece estar gozando de excelente saúde, Potter, por isso me desculpe mas não vou dispensá-lo do dever de casa, hoje. Mas fique descansado, se o senhor morrer, não precisa entregá-lo.”
Minerva McGonagall, PdA, cap. 6, pág. 93

“ – Estou morrendo! – gritou Malfoy enquanto a turma estava em pânico. – Estou morrendo, olhem só pra mim! Ele me matou!”
PdA, cap. 6, pág. 99

Capítulo 7 – O bicho-papão no armário

“Rony apanhou a faca, puxou as raízes de Draco para perto e começou a cortá-las de qualquer jeito, de modo que os pedaços ficaram de tamanhos diferentes.
– Professor – falou Draco com a voz arrastada –, Weasley está mutilando as minhas raízes.”
PdA, cap. 7, pág. 105

“Ele me parece um bom professor – comentou Hermione em tom de aprovação. – mas eu gostaria de ter podido enfrentar o bicho-papão…
– O que ele teria sido para você? – perguntou Rony dando risadinhas. – um dever de casa que só mereceu nota nove em dez?” PdA, cap. 7, pág. 117

Capítulo 8 – A fuga da Mulher Gorda

“Possivelmente foi Percy quem disse as palavras que menos consolaram.
– O pessoal faz um estardalhaço sobre Hogsmeade, mas eu garanto, Harry, o povoado não é tão fantástico quanto dizem – falou ele, sério. – Tudo bem, a loja de doces é bastante boa e a Zonko’s – Logros e Brincadeiras é francamente perigosa e, ah, sim, a Casa dos Gritos sempre vale a pena visitar, mas, verdade, Harry, tirando isso, você não vai perder nada.”
PdA, cap. 8, pág. 126

Capítulo 9 – A amarga derrota

“ – Onde está Olívio? – perguntou Harry, percebendo subitamente a ausência do capitão do time.
– Ainda está no banho – respondeu Fred. – Achamos que ele está tentando se afogar.”
PdA, cap. 9, pág. 149

Capítulo 10 – O mapa do maroto

“ – Bem… quando estávamos no primeiro ano, Harry… jovens, descuidados e inocentes…
Harry abafou uma risada. Duvidava se algum dia os gêmeos teriam sido inocentes.”
PdA, cap. 10, pág. 158

Capítulo 11 – A Firebolt

“Acho que ninguém devia montar essa vassoura por enquanto – disse Hermione com uma voz esganiçada.
Harry e Rony encararam a garota.
Que é que você acha que Harry vai fazer com ela… varrer o chão?” PdA, cap. 11, pág. 185

“A Profª Sibila, porém, não se sentou; seus enormes olhos começaram a passear pela emsa e ela subitamente deixou escapar um gritinho.
– Não me atrevo, diretor! Se eu me sentar, seremos treze! Nada poderia ser mais azarado! Não vamos esquecer que quando treze comem juntos, o primeiro a se levantar será o primeiro a morrer!
– Vamos correr o risco, Sibila – disse a Profª Minerva, impaciente. – Por favor, sente, o peru está esfriando.
Sibila hesitou, depois se acomodou na cadeira vazia, os olhos fechados e a boca contraída, como se estivesse à espera de um raio atingir a mesa. Minerva enfiou uma grande colher na terrina mais próxima.
– Tripas, Sibila?”
PdA, cap. 11, pág. 187

“A Profª Sibila se comportou quase normalmente até o finzinho do almoço de Natal, duas horas depois. Empapuçados com a comida e ainda usando os chapéus da festa, Harry e Rony se levantaram primeiro da mesa e ela deu um grito agudo.
– Meus queridos! Qual dos dois se levantou da cadeira primeiro? Qual?
– Não sei – respondeu Rony olhando preocupado para Harry.
– Duvido que vá fazer muita diferença – disse a Profª Minerva com frieza –, a não ser que o tarado da machadinha esteja esperando aí fora para matar o primeiro que sair para o saguão.”
PdA, cap. 11, pág. 188

Capítulo 13 – Grifinória versus Corvinal

“ – Tem certeza que você sabe montar nessa vassoura, Potter? – disse uma voz arrastada e fria.
Draco Malfoy chegara para dar uma espiada, seguido de perto por Crabbe e Goyle.
– Acho que sim – disse Harry, descontraído.
– Tem muitas características especiais, não é? – disse Malfoy, os olhos brilhando de malícia. – Pena que não venha com um pára-quedas, para o caso de você chegar muito perto de um dementador.
Crabbe e Goyle deram risadinhas.
– Pena que você não possa acrescentar braços na sua, Draco – retrucou Harry. – Assim ela poderia apanhar o pomo para você.”
PdA, cap. 13, pág. 210

Capítulo 14 – O ressentimento de Snape

“O Sr. Aluado apresenta seus cumprimentos ao Prof. Snape e pede para que ele não meta seu nariz anormalmente grande no que não é de sua conta.
Snape congelou. Harry arregalou os olhos, para a mensagem, aparvalhado. Mas o mapa não parou aí. Outras frases apareceram embaixo da primeira.
O Sr. Pontas concorda com o Sr. Aluado e gostaria de acrescentar que o Prof. Snape é um safado mal acabado.
Teria sido engraçado se a situação não fosse tão grave. E havia mais…
O Sr. Almofadinhas gostaria de deixar registrado o seu espanto de que um idiota desse calibre tenha chegado a professor.
Harry fechou os olhos horrorizado. Quando os reabriu, o mapa tinha dito a última palavra.
O Sr. Rabicho deseja ao Prof. Snape um bom dia e aconselha a esse seboso que lave os cabelos.
PdA, cap. 14, pág. 232 e 233

Capítulo 15 – A final do campeonato de Quadribol

“A Profª Sibila passu farfalhando.
– Alguém gostaria que eu ajudasse a interpretar os portentos obscuros que aparecem em seu orbe? – murmurou sobrepondo a voz ao tilintar dos seus badulaques.
– Eu não preciso de ajuda – sussurrou Rony. – É óbvio o que isto significa. Vai haver um nevoeiro daqueles hoje à noite.”
PdA, cap. 15, pág. 241

“”Grifinória com a posse, não, Sonserina com a posse – não! – Grifinória retoma a posse e é Katie Bell, Katie Bell de Grifinória com a goles, a jogadora corta o campo – FOI INTENCIONAL!”
Montague, um artilheiro de Sonserina cortou a frente da jogadora. Katie deu uma cambalhota no ar, conseguiu continuar montada, mas deixou cair a goles.
O apito de Madame Hooch soou mais uma vez ao sobrevoar Montague e começar a gritar com ele. Um minuto depois, Katie tinha marcado mais um pênalti contra a defesa da Sonserina.
“TRINTA A ZERO! TOMA, SEU SUJO, SEU COVARDE…”
– Jordan, se você não consegue irradiar imparcialmente…
– Estou irradiando o que acontece, professora!”
PdA, cap. 15, pág. 248

“”Mau jeito, rapazes! Vão ter que acordar mais cedo para vencer uma Firebolt! E Grifinória fica com a posse da bola mais uma vez, quando Johnson toma a goles – Flint emparelhado com ela – mete o dedo no olho dele, Angelina! – foi só uma brincadeira, professora, só uma brincadeira – ah não – Flint toma a bola, Flint voa para as balizas de Grifinória, agora é com você Wood, agarra…!”
Mas Flint marcou; houve uma erupção de vivas do lado de Sonserina e Lino xingou tanto que a Profa. Minerva McGonagall tentou arrancar o megafone das mãos dele.”
PdA, cap. 15, pág. 249 e 250

“ – Pênalti! Pênalti a favor da Grifinória! Nunca vi uma tática igual! – Madame Hooch guinchava, enquanto velozmente se dirigia até o ponto em que Malfoy deslizava de volta à sua Nimbus 2001.
“SEU SAFADO NOJENTO!”, urrava Lino Jordan no megafone, saltando fora do alcance da Profa. McGonagall. “SEU SAFADO NOJENTO, FILHO…”
A professora nem se deu o trabalho de ralhar com Lino. Na verdade ela sacudia o dedo na direção de Malfoy, seu chapéu caíra da cabeça, e ela também berrava furiosamente.”
PdA, cap. 15, pág. 251

Capítulo 19 – O servo de Lord Voldemort

“ – Rony… eu não fui um bom amigo… um bom bichinho? Você não vai deixá-los me matarem, Rony, vai… você está do meu lado, não está?
Mas Rony olhava Pettigrew com absoluto nojo.
– Eu deixei você dormir na minha cama! – Exclamou ele.”
PdA, cap. 19, pág. 300 e 301

Capítulo 22 – Novo correio-coruja

“ – Profº. Dumbledore, ontem, quando eu estava fazendo o exame de Adivinhação, a Profª. Trelawney ficou muito… muito estranha.
– Verdade? – disse o diretor. – Hum… mais estranha do que de costume, você quer dizer?”
PdA, cap. 22, pág. 341

“Padrinho? – engrolou o tio Valter. – Você não tem padrinho!
– Tenho, sim – respondeu Harry animado – Era o melhor amigo da minha mãe e do meu pai. E é um assassino condenado, mas fugiu a prisão dos bruxos e esta foragindo. Mas ele gosta de manter contato comigo… saber das minhas noticias… verificar se estou feliz…” PdA, cap. 22, pág. 348

One Response to “Prisioneiro de Azkaban”

  1. Jacqueline disse:

    Hi there, I want to subscribe for this weblog to get most
    recent updates, therefore where can i do it please assist.

Leave a Reply