Fred e Jorge Weasley

“ – Vamos lhe mandar uma tampa de vaso de Hogwarts.”
PF, cap. 6, pág. 88

“ – Ei, olhe só, o Harry ganhou uma suéter Weasley também!
Fred e Jorge estavam usando suéteres azuis, uma com uma grande F, a outra com um J.
– Mas a do Harry é melhor do que a nossa – comentou Fred, erguendo a suéter de Harry. – Ela com certeza capricha mais se a pessoa não é da família.
– Por que você não está usando a sua? – perguntou Jorge. – Vamos, vista logo, elas são ótimas e quentes.
– Detesto cor de tijolo – lamentou-se Rony, desanimado enquanto vestia a suéter.
– Pelo menos você não tem uma letra na sua – comentou Jorge. – Ela deve pensar que você não esquece o seu nome. Mas nós não somos burros, sabemos que nos chamamos Jred e Forge.”
PF, cap. 12, pág. 175

“Abram caminho para o herdeiro de Slytherin, um bruxo realmente maligno vai passar…”
CS, cap. 12, pág. 180

“ – Harry! – exclamou Fred, empurrando Percy com os cotovelos e fazendo uma grande reverência. – É simplesmente esplêndido encontrá-lo, meu caro…
– Maravilhoso – disse Jorge, empurrando Fred para o lado e, por sua vez, apertando a mão de Harry. – Absolutamente maravilhoso.
– Agora chega – interrompeu-os a Sra. Weasley.
– Mãe! – exclamou Fred como se tivesse acabado de avistá-la, apertando-lhe a mão também: – É realmente formidável encontrá-la…”
PdA, cap. 4, pág. 56

“ – E para que é que nós queremos ser monitores? – perguntou Jorge, parecendo se indignar até com a própria idéia. – Isso tiraria toda a graça da vida.”
PdA, cap. 4, pág. 56

“ – Bem que a gente tentou trancar ele numa pirâmide – disse a Harry. – Mas a mamão flagrou a gente no ato.”
PdA, cap. 4, pág. 57

“ – Está conosco [o distintivo de Monitor-Chefe de Percy] – sussurrou Fred a Harry. – Andamos dando uma melhorada nele.
No distintivo agora se lia Tremendo Chefão.”
PdA, cap. 4, pág. 60

“ – Que é que estamos fazendo aqui? Deu alguma coisa errada?
– Não, Rony – ouviu-se a voz de Fred, muito sarcástica. – Era exatamente aqui que queríamos chegar.
– É, e estamos nos divertindo de montão – acrescentou Jorge, cuja voz parecia abafada, como se ele tivesse esmagado contra a parede.”
CdF, cap. 4, pág. 39

“ – Eu espero que não – disse Percy, virtuosamente. – Estremeço só de pensar no estado da minha caixa de entrada se eu me ausentar cinco dias no trabalho.
– É, alguém poderia deixar bosta de dragão nela outra vez, hein, Percy? – comentou Fred.
– Aquilo foi uma amostra de fertilizante da Noruega! – protestou Percy, corando. – Não foi nada pessoal!
– Foi – cochichou Fred para Harry, quando eles se levantaram da mesa. – Fomos nós que mandamos.”
CdF, cap. 5, pág. 55

“ – Olá, Harry – saudou-o Jorge, sorridente. – Pensamos ter ouvido sua voz suave.”
OdF, cap. 4, pág. 60

“ – Não queremos que reprima sua raiva, Harry, bote tudo para fora – disse Fred, também sorrindo. – Vai ver tem alguém a cem quilômetros de distância que ainda não te ouviu.”
OdF, cap. 4, pág. 60

“ – Tempo é galeão, maninho.”
OdF, cap. 4, pág. 60

“ – Vocês dois aparataram em cima dos meus joelhos!
– Ah, bom, é que é mais difícil no escuro.”
OdF, cap. 6, pág. 85

– Eu sabia! – berrou Rony, dando socos no ar. – Você sempre consegue se safar!
– Eles tinham de inocentar você – disse Hermione, que parecera que ia desmaiar de ansiedade quando Harry entrou na cozinha, e agora levava a mão trêmula aos olhos -, não tinham um caso contra você, nenhum.
– Mas vocês todos parecem bem aliviados, considerando que já sabiam que eu ia me livrar das acusações – disse Harry sorrindo.
A Sra. Weasley enxugou o rosto no avental, e Fred e Jorge e Gina executaram uma espécie de dança de guerra, cantando:
Ele conseguiu, ele conseguiu, ele conseguiu…
OdF, cap. 9, pág. 130 e 131

“ – Eu não acredito! Eu não acredito! Ah, Rony, que maravilha! Monitor! Como todos na família! [Molly Weasley]
– Que é que Fred e eu somos, filhos do vizinho?”
OdF, cap. 9, pág. 136

“ – Então a melhor nota é “O” de “Ótimo” – ia dizendo [Hermione] -, depois tem o “A”.
– Não, o “E” – Jorge a corrigiu. – “E” de “Excede Expectativas”. Sempre achei que Fred e eu devíamos ter recebido “E” em tudo, porque excedemos as expectativas só de comparecer para prestar os exames.”
OdF, cap. 15, pág. 259

“ – Você está tentando fugir do compromisso de nos mostrar tudo isso? – perguntou Zacarias.
– Tenho uma idéia – disse Rony em voz alta, antes que Harry pudesse falar -, por que você não cala a boca?
– Ora, todos viemos para aprender com Harry, e agora ele está dizendo que, no duro, não sabe fazer nada disso.
– Não foi isso que ele disse – reagiu Fred.
– Quer que a gente limpe seus ouvidos para você? – perguntou Jorge, tirando um longo instrumento metálico de aspecto letal, de dentro de uma das sacas da Zonko’s.
– Ou enfie isso em qualquer outra parte do seu corpo, para falar a verdade, não somos muito luxentos – acrescentou Fred.”
OdF, cap. 16, pág. 285

“ – Mas você também ganharia uns enormes furúnculos cheios de pus – explicou Jorge -, e ainda não descobrimos como nos livrar deles.
– Não estou vendo nenhum furúnculo – disse Rony olhando bem para os gêmeos.
– Não, bem, você não veria – disse Fred sinistramente -, eles não saem em lugarem que a gente normalmente expõe ao público.
– Mas montar uma vassoura literalmente péla o…”
OdF, cap. 18, pág. 313

“ – Rony já defendeu algum gol? – pergunto uHermione, espiando por cima de Hieróglifos e logogramas mágicos.
– Bom, ele é capaz de defender quando acha que não tem ninguém observando – disse Fred olhando para o teto. – Então no sábado só o que a gente precisa fazer é pedir aos espectadores para virarem as costas e baterem um papo todas as vezes que a goles for arremessado para o lado dele.”
OdF, cap. 25, pág. 468

“ – É, o Montague tentou nos prejudicar durante o interval – contou Jorge.
– Como assim “tentou”? – perguntou Rony na mesma hora.
– Ele não chegou a enunciar todas as palavras – disse Fred -, nós o empurramos de cabeça no Armário Sumidouro do primeiro andar.
Hermione pareceu muito chocada.
– Mas vocês vão se meter numa confusão horrível!
– Não até o Montague reaparecer, e isso pode levar semanas, não sei aonde o mandamos – disse Fred descontraído.”
OdF, cap. 28, pág. 509

“ – Falou – sussurrou Jorge, enxugando as lágrimas de riso do rosto. – Ah, espero que ela experimente agora faze-los desaparecer… eles se multiplicam por dez todas as vezes que alguém tenta.”
OdF, cap. 28, pág. 514

“ – Jorge, acho que já passamos da idade de receber educação em tempo integral.
– É, tenho sentido isso também – comentou Jorge alegremente.
– Está na hora de testarmos os nossos talentos no mundo real, você não acha?
– Decididamente.
E, antes que Umbridge dissesse uma palavra, eles ergueram as varinhas e falaram juntos:
– Accio Vassouras!
Harry ouviu um estrondo ao longe. Olhando para a esquerda, abaixou-se bem em tempo. As vassouras de Fred e Jorge, uma delas ainda arrastando a pesada corrente e o gancho de ferro com que Umbridge as pregara na parede, voaram velozes ao encontro dos seus donos; viraram à esquerda e pararam bruscamente diante dos gêmeos, a corrente batendo com estrépito no chão lajeado.
– Não a veremos mais – disse Fred à Prfª Umbridge, passando a partena por cima da vassoura.
– É, e não precisa mandar notícias – disse Jorge, montando a própria vassoura.
Fred correu o olhar pelos estudantes reunidos, para a multidão que assistia silenciosa à cena.
– Se alguém tiver vontade de comprar um Pântano Portátil, conforme demonstramos lá em cima, pode nos procurar no beco Diagonal, número noventa e três: Gemialidades Weasley – disse em voz alta – Nossas novas instalações.
– Descontos especiais para os alunos de Hogwarts que jurarem que vão usar os nossos produtos para se livrar dessa morcega velha – acrescentou Jorge, apontando para a Profª Umbridge.
– IMPEÇA-OS! – gritou Umbridge, mas tarde de mais. Quando a Brigada Inquisitorial se aproximou, Fred e Jorge deram impulso no chão e se projetaram quase cinco metros no ar, o gancho de ferro balançando perigosamente embaixo. Fred olhou para o poltergeist que flutuava do outro lado do saguão no mesmo nível que os gêmeos acima da multidão.
– Infernize ela por nós, Pirraça.
E Pirraça, que Harry nunca vira obedecer ordem de nenhum estudante antes, tirou o chapéu em forma de sino que usava e saudou os garotos, ao mesmo tempo que Fred e Jorge faziam a volta sob os aplausos dos estudantes e saíam em alta velocidade pelas portas de entrada abertas para um glorioso pôr-de-sol.”
OdF, cap. 29, pág. 546 e 547

“ – Será que alguém poderia estar com raiva da equipe de quadribol da Grifinória? – perguntou Hagrid ansioso. Primeiro a Cátia, agora o Rony…
– Não consigo ver ninguém tentando liquidar uma equipe de quadribol – comentou Jorge.
– Wood teria acabado com os jogadores da Sonserina se não tivesse de pagar pelo crime – respondeu Fred, querendo ser justo.”
EdP, cap. 9, pág. 316

“ – Então, no geral, não foi um dos melhores aniversários do Rony, não é?” [Fred]
EdP, cap. 19, pág. 313

“ – Não foi bem assim que imaginamos entregar nosso presente – disse Jorge, sério, deixando um grande embrulho na mesa-de-cabeceira de Rony e se sentando ao lado de Gina.
– É, quando imaginamos a cena, ele estava consciente – confirmou Fred.”
EdP, cap. 19, pág. 313

“ – […] Por exemplo, essa nova idéia de que Você-Sabe-Quem ser capaz de matar com um olhar. Isto quem faz é o basilisco. Um teste simples é verificar se aquilo que está olhando para vocês tem pernas. Se tiver, pode fixá-lo nos olhos sem ledo, embora haja a probabilidade de ser a última coisa que você fará na vida, se for realmente Você-Sabe-Quem.” [Fred]
EdP, cap. 22, pág. 344

Leave a Reply