Harry Potter

“-Você vale doze Dracos – disse Harry. – O Chapéu da Seleção escolheu você para a Grifinória, não foi? E onde está Draco? Naquela Sonserina nojenta.”
PF, cap. 13, pág. 188

“ – E DAÍ? – gritou Harry. – Vocês não percebem? Se Snape apanhas a pedra Voldemort vai voltar! Vocês não ouviram contar como era quando ele estava conquistando o poder? Não vai haver Hogwarts pra nos expulsar! Ele vai arrasar Hogwarts ou então transformá-la numa escola de magia negra! Perder pontos não importa mais, vocês não entenderam? Acham que ele vai deixar vocês e suas famílias em paz, se Grifinoria ganhar o campeonato das casas? Se eu for pego antes de conquistar a pedra, bem, vou ter que voltar para os Dursley e esperar Voldemort me encontrar lá. É só uma questão de morrer um pouquinho depois do que teria morrido, porque eu nunca vou me aliar aos partidários da magia negra! Vou entrar naquele alçapão hoje à noite e nada que vocês dois disserem vai me impedir! Voldemort matou meus pais, estão lembrados?”
PF, cap. 16, pág. 231 e 232

“-VOLDEMORT! – berrou Harry, e Hagrid levou um choque tão grande que parou de chorar.
-Estive com ele cara a cara e vou chamá-lo pelo nome que tem. Por favor, anime-se, Rúbeo, salvamos a Pedra, ela foi destruída e ele não poderá usá-la. Coma um sapo de chocolate. Tenho um montão…”
PF, cap. 17, pág. 259

“ – Eles não sabem que não podemos fazer bruxarias em casa. Vou me divertir a beça com Duda esse verão…”
PF, cap. 17, pág. 263

“- Professora, quando apanhamos o carro, o ano letivo ainda não tinha começado, por isso… por isso Grifinória não deve perder pontos, deve? – terminou ele, observando-a ansioso.” CS, cap. 5, pág. 75

“- O Senhor é o professor de Defesa Contra as Artes das Trevas! – exclamou Harry. – Não pode ir embora agora! Não com todas as artes das trevas em ação!” CS, cap. 16, pág 251

“- Ninguém sabe por que você perdeu seus poderes ao me atacar – disse Harry abruptamente. – Nem mesmo eu sei. Mas sei por que você não pôde me matar. Foi porque minha mãe morreu para me salvar. Minha mãe trouxa e comum – acrescentou, sacudindo-se de raiva reprimida. – Ela impediu você de me matar. E eu vi o seu eu verdadeiro. Vi no ano passado. Você está uma ruína. Mal se mantém vivo. Foi isso que você ganhou com todo o seu poder. Você vive escondido. Você é feio, você é nojento…” CS, cap. 17, pág. 267

“- Orgulhosos? – falou Harry.- Você enlouqueceu? Depois de todas aquelas vezes que eu podia ter morrido e não morri? Eles vão ficar furiosos…”
CS, cap. 18, pág. 287

“- Por que eu iria sair procurando alguém que eu sei que quer me matar? – perguntou Harry sem entender..”
PdA, cap. 5, pág. 65

“- Eu não saio por aí procurando encrenca – respondeu Harry, irritado. – Em geral as encrencas é que vêm ao meu encontro.”
PdA, cap. 5, pág. 67

“ – Pena que você nao possa acrescentar braços na sua Draco – retrucou Harry.- Assim ela poderia apanhar o pomo para você.”
PdA, cap. 13, pág. 210

“ – Você ficou maluco? – disse Harry com a voz quase tão rouca quanto a de Black. – Claro que quero deixar a casa dos Dursley! Você tem casa? Quando é que eu posso me mudar?”
PdA, cap. 19, pág. 306

“ – Era o melhor amigo da minha mãe e do meu pai. E é um assassino condenado, mas fugiu da prisão dos bruxos e esta foragido. Mas ele gosta de manter contato comigo… saber das minhas noticias… verificar se estou feliz…”
PdA, cap. 22, pág. 348

“ – Genial! – exclamou Harry. – É Poções a ultima aula de sexta feira! Snape não terá tempo de envenenar todos nós!”
CdF, cap. 15, pág. 189

“ –Por que é que elas têm que andar em bando? – perguntou Harry a Rony, quando uma dúzia de garotas passou por eles, rindo e olhando para Harry. – Como é que se vai encontrar uma sozinha para se convidar?”
CdF, cap. 22, pág. 308

“ – Não sei quem é que a Maxime pensa que está enganando –[…] Se Hagrid é meio gigante, decididamente ela também é. Ossos graúdos…. a única coisa que tem ossos maiores do que ela é um dinossauro.”
CdF, cap. 23, pág. 342

“ – Escutem – disse Harry decidido. – Se vocês não aceitarem eu vou jogar fora. Não quero o ouro e não preciso dele. Mas dar umas boas gargalhadas bem que ajudaria. Tenho a impressão de que vamos precisar delas mais do que de costume e não vai demorar muito.”
CdF, cap. 37, pág 582

“ – Por que você estava escondido embaixo da nossa janela?
– É… é, uma boa pergunta Petúnia. Que é que você estava fazendo embaixo da nossa janela, moleque?
– Ouvindo o noticiário – respondeu Harry, conformado.
O tio e a tia trocaram olhares indignados.
– Ouvindo o noticiário? De novo?
– Bom, é que muda todos os dias, entende? – respondeu o garoto.”
OdF, cap. 1, págs. 10 e 11

“ – Então, a quanto tempo você é o Dudão? – perguntou Harry.
– Não chateia – rosnou o primo ando-lhe as costas.
– Nome legal – comentou Harry, rindo e acompanhando o passo do primo. – Mas para mim você sempre será o Dudiquinho.
[…]
– Cala essa boca.
Você não diz a ela para calar a boca. Então posso usar “Fofinho” e “Duduzinho”?”
OdF, cap. 1, pág. 16

“ – Não se pode meter dois socos seguidos em um Dementador.”
OdF, cap. 2, pág. 33

“ – E Harry entendeu certo ontem à noite – retorquiu Rony. – Se isto significa que teremos de ser amiguinhos do pessoal da Sonserina…pode esquecer.
– Bom, acho que é uma pena que a gente não esteja procurando se unir ao pessoal de outras casas – respondeu Hermione irritada..
Os três tinham chegado ao PE da escadaria de mármore. Uma fila de quartanistas da Corvinal ia atravessando o saguão; ao avistarem Harry agruparam-se depressa, como se tivessem medo de que ele atacasse os retardatários.
– É, devíamos realmente estar tentando fazer amizade com gente como essa – disse Harry sarcasticamente.”
OdF, cap. 12, pág. 187

“ – Bom uma noite dessas eu sonhei que estava jogando quadribol – disse Rony, contraindo o rosto num esforço para se lembrar. – Que é que você acha que isso significa?
– Provavelmente que você vai ser devorado por um marshmallow gigante ou outra coisa assim – disse Harry, folheando as páginas do Oráculo dos sonhos, sem interesse.”
OdF, cap. 12, pág. 199

“ – Harry, não vá brigar com Malfoy, não se esqueça de que agora ele é monitor e poderia fazer sua vida muito difícil…
– Uau, como seria uma vida muito difícil? – perguntou Harry sarcasticamente.”
OdF, cap. 13, pág. 218

“ – Hum… muito obrigado Ernesto – disse Harry surpreso mas satisfeito, Ernesto podia ser pomposo em ocasiões como aquela, mas Harry estava disposto a apreciar profundamente um voto de confiança de alguém que não usava rabanetes pendurados nas orelhas.”
OdF, cap. 13, pág. 219

“ – É, Quirrel foi um grande professor – disse Harry em voz alta -, exceto pelo pequeno problema de ter Lord Voldemort saindo pela nuca.”
OdF, cap. 15, pág. 264

“ELA MATOU SIRIUS! – bradou Harry.- ELLA O MATOU… ELA O MATOU!”
OdF, cap. 36, pág 654

“ – O senhor – o senhor acha que eu quero – o senhor acha que eu dou a – NÃO ME INTERESSA O QUE O SENHOR TEM A DIZER! – urrou Harry. – Não quero ouvir nada que o senhor tem a dizer!”
OdF, cap. 37, pág. 667

“ – Estamos a noite, Dudiquinho. É como a gente chama quando fica escuro assim.”
OdF, cap. 1, pág. 17

“ – É duro – disse Harry finalmente, em voz baixa – saber que ele não escreverá mais para mim.”
EdP, cap. 4, pág. 64

“ – percebi que não posso me isolar de tudo, senão vou ficar maluco. Sirius não teria gostado disso, não é? De qualquer jeito a vida é curta demais… vê a Madame Bones, vê a Emelina Vance… eu poderia ser o próximo não é? Mas, se eu for – disse com ferocidade, agora encarando os olhos azuis de Dumbledore, brilhando à luz da varinha – , vou fazer questão de levar comigo o maior numero de Comensais da Morte que puder, e Voldemort também, se tiver forças.”
EdP, cap. 4, pág. 64

“ – Uau … quem diria… ele não está aqui agora! Então por que não experimentar? Talvez lhe arranjem uma cela de casal em Askaban para fazer companhia ao perdedor do seu marido!”
EdP, cap. 6, pag. 92

“ – Não é preciso me chamar de senhor , professor.”
EdP, cap. 9, pag. 144

“ (Sobre os Comensais da Morte) – E eles adorariam que eu me alistasse – comentou Harry, sarcástico. – Seríamos grandes companheiros se eles não insistissem em me liquidar.”
EdP, cap. 12, pág. 191

“ – Que foi que você fez, voltou lá na noite que ele morreu e limpou a casa? – rosnou Hary.”
EdP, cap. 12, pag. 194

“ – Bem, procure se lembrar. Alguma vez você deixou escapar que gostaria de aparecer em público com as palavras “Meu Namorado” penduradas no pescoço?”
EdP, cap. 16, pag. 265

“- É, e outros diriam que é seu dever verificar se as pessoas são realmente Comensais da Morte antes de metê-las na prisão – Respondeu Harry se encolerizando. – O senhor está fazendo o mesmo que Bartô Crouch fez. Os senhores nunca entendem muito bem, não é? Ou temos Fudge, fingindo que está tudo ótimo enquanto as pessoas são assassinadas debaixo do nariz dele, ou temos o senhor, metendo as pessoas erradas na prisão e querendo fingir que “o Eleito” está trabalhando pro Ministério!”
EdP, cap. 16, pag. 272

“ – Não, foi sincero. Uma da poucas coisas sinceras que o senhor me disse. O senhor não se importa que eu viva ou morra, mas faz questão que eu o ajude a convencer todos que está ganhando a guerra contra Voldemort.”
EdP, cap. 16, pág. 272

“ – Pode tentar – disse Harry com indiferença. – Mas o senhor parece mais inteligente do que Fuge, por isso seria de imaginar que tivesse aprendido com os erros dele. Fudge tento interferi em Hogwarts. O senhor deve ter reparado que ele não é mais ministro, mas Dumbledore continua a ser diretor. Eu deixaria Dumbledore em paz, se fosse o senhor.”
EdP, cap. 16, pag. 273

“ – Eu sempre me cuido, sra. Weasley. Gosto de levar uma vida tranqüila, a senhora me conhece.”
EdP, cap. 17, pág. 274

“ – Vou a Cabana do Hagrid, esse pensamento me produz uma sensação boa.”
EdP, cap. 22, pag. 374

“- Ela é irmã do Rony.
Mas ela deu o fora no Dino!
Ela continua sendo irmã do Rony.
Eu sou o melhor amigo dele!
Isso só vai piorar as coisas.
E se eu falasse com ele primeiro…
Ele bateria em você
E se eu não ligar?
Ele é seu melhor amigo!”
EdP, cap. 24, pag. 405

“ – Snape o matou.”
EdP, cap. 29, pag. 482

“ – Por inteiro um homem de Dumbledore – completou Harry. – Com Certeza.”
EdP, cap. 29, pág. 508

“ – Voldemort usa as pessoas chegadas aos seus inimos. Já usou você de isca uma vez, só pó ser irmã do meu melhor amigo. Pensa no enorme perigo que poderá correr se continuarmos a namorar. Ele saberá, ele descobrirá. Ele tentará me atingir através de você.”
EdP, cap. 30, pág. 506

“ – Ele só terá ido desta escola quando ninguém mais aqui for leal a ele – respondeu Harry, com um sorriso forçado.”
EdP, cap. 30, pág. 507

 

“ – Estão evacuando os alunos menores, e todos vão se encontrar no Salão Principal para nos organizarmos – disse Harry. – Vamos lutar.”
RdM, cap. 30, pág. 469

“ – O Patrono de Snape era uma corça – disse Harry -, o mesmo que o de minha mãe, porque ele a amou quase a vida toda, desde que eram crianças. Você devia ter percebido – […] -, ele lhe pediu pra poupar a vida dela, não foi?”
RdM, cap. 36, pág. 575

“ – Severo Snape não era homem seu. Snape era de Dumbedore desde o momento em que você começou a caçar minha mãe.”
RdM, cap. 36, pág. 575

“- Alvo Severo […], nós lhe demos o nome de dois diretores de Hogwarts. Um deles era da Sonserina, e provavelmente foi o homem mais corajoso que já conheci.”
RdM, Epílogo, pág. 588

Leave a Reply