Alvo Dumbledore

“ – É uma sorte estar escuro. Nunca mais corei assim desde que Madame Pomfrey me disse que gostava dos meus abafadores de orelhas novos.”
PF, cap. 1, pág. 15

“ – Eu confiaria a Hagrid minha vida.”
PF, cap.1, pág. 17

“ – As cicatrizes podem vir a ser úteis. Tenho uma acima do joelho esquerdo que é um mapa perfeito do metrô de Londres.”
PF, cap. 1, pág. 18

“ – Pateta! Chorão! Destabocado! Beliscão!”
PF, cap. 7, pág. 109

“ – Ah, a música – disse secando os olhos. – Uma mágica que transcende todas que fazemos aqui! E agora, hora de dormir. Andando!”
PF, cap. 7, pág. 113

Seu pai deixou isso comigo antes de morrer. Está na hora de devolvê-la a você. Use-a bem. Um Natal Muito Feliz para você.
PF, cap. 12, pág. 174

“ – Eu não preciso de uma capa para me tornar invisível.”
PF, cap. 12, pág. 184

“ – Não faz bem viver sonhando e se esquecer de viver…”
PF, cap. 12, pág. 185

“ – Aquilo que aconteceu nas masmorras entre você e o professor Quirrell é segredo absoluto, por isso, é claro a escola inteira já sabe. Acredito que nossos amigos, os Srs. Fred e Jorge Weasley, foram responsáveis pela tentativa de lhe mandar um acento de vaso sanitário. Com certeza acharam que você ia achar engraçado”
PF, cap. 17, pág. 252

“ – Ah, você já ouviu falar no Nicolau? – perguntou Dumbledore, parecendo encantado – Você fez mesmo a coisa certa, não foi? Bom, Nicolau e eu tivemos uma conversinha e concordamos que assim era melhor.”
PF, cap. 17, pág. 253

“ – Afinal, para a mente bem estruturada, a morte é apenas a grande aventura seguinte.”
PF, cap. 17, pág. 253

“ – O problema é que os humanos têm o condão de escolher exatamente as coisas que são piores para eles.”
PF, cap. 17, pág. 254

“ – O medo de um nome aumenta o nome da coisa em si.”
PF, cap. 17, pág. 254

“ – Sua mãe morreu para salvar você. Se existe uma coisa que Voldemort não consegue compreender é o amor.”
PF, cap. 17, pág. 255

“-Ah, por acaso seu pai deixou-a comigo e eu achei que você talvez gostasse. – Os olhos de Dumbledore faiscaram. – Coisas úteis… seu pai usava-a principalmente para ir escondido às cozinhas roubar comida, quando estava aqui.”
PF, cap. 17, pág. 255

“(…)E além disso, seu pai fez uma coisa que Snape nunca pôde perdoar.
-O quê?
-Salvou a vida dele.”
PF, cap. 17, pág. 255

“ – Que pena! Cera de ouvido!”
PF, cap. 17, pág. 256

“ – Existe todo tipo de coragem – disse Dumbledore sorrindo – É preciso muita audácia para enfrentarmos os nossos inimigos, mas igual audácia para defendermos os amigos.”
PF, cap. 17, pág. 261

“ – Professor – ofegou Harry. – Seu pássaro, eu não pude fazer nada, ele simplesmente pegou fogo…
Para surpresa de Harry, Dumbledore sorriu.
– Já não era sem tempo. Ele tem andado com a aparência medonha há dias, e venho dizendo a ele para se apressar.
E deu uma risadinha ao ver a cara de espanto de Harry.
– Fawkes é uma fênix, Harry. As fênix pegam fogo quando chega a hora de morrer e tornar a renascer das cinzas. Olhe ele…
Harry olhou em tempo de ver um pássaro minúsculo amarrotado, recém-nascido botar a cabeça para fora das cinzas. Era tão feio quanto o anterior.
– É uma pena que você a tenha visto no dia em que queimou – disse Dumbledore, sentado-se à escrivaninha. – Na realidade ela é muito bonita quase o tempo todo, tem uma plumagem vermelha e dourada. Criaturas fascinantes, as fênix. São capazes de sustentar cargas pesadíssimas, suas lágrimas têm poderes curativos e são animais de estimação muitíssimo fiéis.”  CS, cap. 12, pág. 177/178

“ – … só terei realmente deixado a escola quando ninguém mais aqui for leal a mim. Você também vai descobrir que Hogwarts sempre ajudará aqueles que a ela recorrerem.”
CS, cap. 14, pág. 224

“ – Estou-me lembrando que disse a ambos que teria de expulsá-los se infringissem mais um artigo do regulamento da escola. – começou Dumbledore.
Rony abriu a boca horrorizado.
O que prova que até o melhor de nós às vezes precisa engolir o que disse.”
CS, cap. 18, pág. 278

“ – Antes de mais nada, Harry, eu quero lhe agradecer, disse Dumbledore com os olhos novamente cintilantes. “Você deve ter mostrado verdadeira lealdade a mim lá na Câmara. Nenhuma outra coisa teria levado Fawkes a você”” CS, cap.18, pág.279

“ – São as nossas escolhas, Harry, que revelam quem realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades.”
CS, cap. 18, pág. 280

“ – Harry, Cedrico, sugiro que vocês vão se deitar – disse Dumbledore, sorrindo para os dois. – Tenho certeza que Grifinória e Lufa-Lufa estão aguardando vocês para comemorar e seria uma pena privar seus colegas desta excelente desculpa para fazerem muito barulho e confusão.”
CdF, cap. 17, pág. 226

“ – Ainda hoje de manhã, por exemplo, a caminho do banheiro, virei para o lado errado e me vi em um aposento de belas proporções que eu nunca vira antes, e que continha uma coleção realmente magnífica de penicos. Quando voltei para investigá-lo mais de perto, descobri que o aposento desaparecera. Mas preciso ficar atento até reencontrá-lo. É possível que só esteja acessível às cinco e meia da manhã. Ou talvez apareça com a lua em quartil ou quando quem procura está com a bexiga excepcionalmente com a bexiga cheia.”
CdF, cap. 23, pág. 331

“ – Francamente, Hagrid, se você esta esperando obter aprovação universal, receio que vá ficar na cabana muito tempo – disse o diretor , agora olhando severamente por cima dos oclinhos de meia-lua. – Ainda não houve uma semana, desde que me tornei diretor desta escola, em que eu não recebesse ao menos uma coruja reclamando da maneira com que eu a dirijo. Mas o que é que eu deveria fazer? Me entrincheirar no escritório e me recusar a falar com as pessoas? ”
CdF, cap. 24, pág. 361

“ -A curiosidade não é um pecado – disse ele – Mas devemos ser cautelosos com a nossa curiosidade… sem duvida…”
CdF, cap. 30, pág. 476

“ – Você não consegue reconhecer que não faz diferença quem a pessoa é ao nascer, mas o que ela vai ser ao crescer!”
CdF, cap. 36, pág. 562

“ – Repito a todos, à luz do ressurgimento de Lord Voldemort, seremos tão fortes quanto formos unidos e tão fracos quanto formos desunidos. O talento de Lord Voldemort para disseminar a desarmonia e a inimizade é muito grande. Só podemos combatê-lo mostrando uma ligação igualmente forte de amizade e confiança. As diferenças de costumes de língua não significam nada se os nossos objetivos forem os mesmos e os nossos corações forem receptivos.”
CdF, cap. 37, pág. 575

“ – Lembre-se de Cedrico Diggory. Lembrem-se, se chegar a hora de terem de escolher entre o que é certo e o que é fácil, lembrem-se do que aconteceu com um rapaz que era bom, generoso e corajoso, porque ele cruzou o caminho de Lord Voldemort. Lembrem-se de Cedrico Diggory.”
CdF, cap. 37 , pág. 575

“ – Testemunha de defesa, Alvo Percival Wulfrico Brian Dumbledore.”
OdF, cap. 8, pág. 116

“ – Aos nossos recém-chegados – começou Dumbledore com uma voz ressoante, os braços abertos e um enorme sorriso nos lábios – , bem-vindos! Aos nossos antigos alunos: um bom regresso. Há um momento para discursos, mais ainda não é este: atacar!”
OdF, cap. 11, pag. 174

“ – Bom…parece que você tem a ilusão de que irei… como é mesmo a expressão? Que irei sem fazer barulho. Receio dizer que não vou sem fazer barulho, Cornélio.”
OdF, cap. 27. pág. 503

“ – Eu poderia fugir, é claro, mas que perda de tempo, e francamente, posso pensar em inúmeras coisas que prefiro fazer. “
OdF, cap. 27, pág. 503 e 504

“ – Não seja bobo, Dawlish. – disse Dumbledore em um tom bondoso. Estou certo de que você é um excelente auror, tenho a impressão de que obteve “Excepcional” em todos os seus N.I.E.M.s, mas se tentar… ah… me levar à força terei de machucá-lo.”
OdF, cap. 27, pág. 504

“ – Perfeitamente, continue a destruir os meus pertences – disse Dumbledore serenamente. – Reconheço que os tenho em excesso.”
OdF, cap. 37, pág. 667

“ – Harry, eu lhe devo uma explicação. Uma explicação para os erros de um velho. Porque vejo agora que o que fiz e o que não fiz, com relação a você, tem todas as marcas e deslizes da velhice. Os jovens não podem saber como os idosos pensam e sentem. Mas os velhos são culpados quando se esquecem do que era ser jovem…e parece que ultimamente andei me esquecendo…”
OdF, cap. 37, pág. 668

“ – Faz muito tempo desde a minha última visita – falou Dumbledore, olhando por cima dos óculos para o tio Valter. – Devo dizer que os seus agapantos estão bem floridos.”
EdP, cap. 3, pág. 40

“ – Otimo, ótimo”
EdP, cap. 3, pág. 40

“ – …contudo, a grosseria acidental ocorre com alarmante frequencia – Dumbledore terminou a frase sério. – É melhor não dizer nada, meu caro.”
EdP, cap. 3, pág. 40

“ – Presumi que fossem me oferecer uma bebida – disse Dumbledore ao Tio Valter -, mas, pelo visto, tanto otimismo seria tolice.”
EdP, cap. 3, pág. 45

“ – E agora, Harry vamos sair para a noite em busca dessa sedutora volúvel, a aventura,”
EdP, cap. 3, pág. 48

“ – Para sua referência futura, é amora… embora, é claro, se eu fosse um Comensal da Morte, teria tido o cuidado de pesquisar minhas geléias preferidas antes de me fazer passar por mim mesmo.”
EdP, cap. 4, pág. 52

“ – Não, estava apenas lendo revistas trouxas. Adoro as receitas de tricô.”
EdP, cap. 4, pág. 61

“ – Tiro o chapéu para você, ou tiraria se não fosse o receio de provocar uma chuva de aranhas na sua cabeça.”
EdP, cap. 4, pág. 64

“ – Não conte com os ovos que as corujas ainda não botaram.”
EdP, cap. 4 , pág. 66

“ – Vejo luz na cozinha. Não vamos privar Molly, nem mais um instante, da oportunidade de lamentar de como você está magro.”
EdP, cap. 4, pág. 66

“ – Daqui para frente, estaremos deixando o terreno firme de fatos para viajar juntos pelos turvos alagados da memória e nos embrenhar pelo matagal das suposições mais absurdas.”
EdP, cap. 10, pág. 157

“ – De fato, sendo, perdoe-me, bem mais inteligente do que a maioria, os meus erros tendem a ser proporcionalmente maiores.”
EdP, cap. 10, pág. 157

“ – O choque de sua deserção talvez tenha contribuído para a sua morte prematura – ou talvez ele simplesmente nunca tivesse aprendido a preparar a própria comida”
EdP, cap. 10, pág. 169

“ – O tempo está nos enganando outra vez…”
EdP, cap. 13, pág. 217

“ – É preciso tentar não sucumbir sob o peso de nossas angústias, Harry, e continuar a lutar.”
EdP, cap. 17, pág. 280

“ – Ah, Harry, com que freqüência isso ocorre até entre os melhores amigos! Cada qual acredita que o que tem a dizer é muito mais importante do que qualquer coisa que o outro tenha a contribuir!”
EdP, cap. 17, pág. 282

“ – O próprio Voldemort criou o seu próprio inimigo, como fazem os tiranos em todo o mundo! Você tem idéia do medo que os tiranos sentem do povo que eles oprimem?”
EdP, cap. 23, pág. 400

“ – Nada temos a recear de um cadáver, Harry, como nada devemos temer da escuridão.”
EdP, cap. 26, pág. 444.

“ – É o desconhecido que receamos quando olhamos para a morte e a escuridão, nada mais.”
EdP, cap. 26, pág. 444

“Desculpe, Harry; eu devia ter dito que ele não iria querer matar imediatamente a pessoa que alcançasse a ilha”
EdP, cap. 26, pág. 446

“ – Não estou preocupado, Harry – disse Dumbledore, sua voz um pouco mais forte apesar da frieza da água. – Estou com você.”
EdP, cap. 26, pág. 454

“ – Severo…por favor…”
EdP, cap. 27, pág. 468

“Era importante, dissera Dumbledore, lutar, e recomeçar a lutar, e continuar a lutar, porque somente assim o mal poderia ser acuado, embora jamais erradicado…”
EdP, cap. 30, pág. 504

“ – Você me dá nojo.”
RdM, cap. 33, pág. 526

“- Harry não pode saber, não até o último momento, não até que seja necessário, do contrário como poderia ter a força para fazer o que deveria ser feito?
RdM, cap. 33, pág. 533

“- Aquilo que Voldemort não dá valor ele não se dá sequer o trabalho de compreender. De elfos domésticos e contos infantis, amor, lealdade e inocência, Voldemort não entende nada. Nadinha. Que todos tenham um poder que supere o dele, um poder que supere o alcance da magia, é uma verdade que ele jamais compreendeu.”
RdM, cap. 35, pág. 531

” – Não tenha piedade dos mortos, Harry. Tenha piedade dos vivos e, acima de tudo, dos que vivem sem amor. Ao regressar, você poderá assegurar que menos almas serão mutiladas, menos famílias serão destroçadas. Se isso lhe parecer um objetivo meritório, então, por ora, diremos adeus.”
RdM, cap. 35, pág. 561

“ – Me diga uma última coisa – disse Harry. – Isto é real? Ou esteve acontecendo apenas em minha mente?
Dumbledore lhe deu um grande sorriso, e sua voz pareceu alta e forte aos ouvidos de Harry, embora a névoa clara estivesse baixando e ocultando o seu vulto.
– Claro que está acontecendo em sua mente, Harry, mas por que isto significa que não é real?
RdM, cap. 35, pág. 562

One Response to “Alvo Dumbledore”

  1. gui disse:

    – O medo de um nome aumenta o nome da coisa em si.

    Não seria
    – O medo de um nome aumenta o MEDO da coisa em si. ?

Leave a Reply